Fale conosco pelo WhatsApp

Perigos do cigarro eletrônico e narguilé

Muito se é falado sobre os danos à saúde que o cigarro convencional pode causar. Inúmeras doenças estão associadas ao hábito do fumo como asma, bronquite, enfisema pulmonar e diversas outras complicações respiratórias devido a inalação
constante de fumaça. Não obstante, as substâncias tóxicas que estão contidas notabaco também contribuem para o desenvolvimento de câncer.

Apesar de campanhas antifumo e informações amplamente divulgadas, o número de fumantes segue alto. Atualmente, outros meios de inalar tabaco estão em voga no momento, sobretudo o cigarro eletrônico e o popular narguilé. Ainda que muitos tentem argumentar que esses dois produtos não oferecem tanto risco ao nosso bem-estar, os médicos e
demais especialistas da saúde são taxativos: os malefícios são os mesmos – ou até mais perigosos – que o cigarro convencional.

Você sabe o que é realmente o narguilé?

De origem oriental, o narguilé é um tipo de cachimbo que filtra as substâncias do fumo feitas de tabaco e aromatiza com sabores de frutas como morango, menta, chocolate, entre muitos outros. O fato deste equipamento fazer uso da água e de um mecanismo de filtragem, acabou criando um mito de que o seu consumo seria menos danoso à saúde de
quem inala a fumaça produzida. Entretanto, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que o tempo de uma sessão, que dura em torno de meia hora à uma hora e meia, seria o equivalente a fumar 100 cigarros!

O narguilé pode ser utilizado por várias pessoas ao mesmo tempo, ou seja, o mesmo cachimbo passa pela boca de diferentes pessoas. Esse compartilhamento do cachimbo, se não tiver os devidos cuidados, pode causar doenças como herpes,
tuberculose, hepatite C, etc.

O que é o cigarro eletrônico?

Esse dispositivo eletrônico foi criado com o formato do cigarro convencional com o intuito de imitar o ato de fumar. Através de um mecanismo elétrico que pode ser ligado e desligado a qualquer momento, ele armazena o vapor que será inalado pelo
usuário em uma câmara e a nicotina em um pequeno cartucho. Quando esquentado, o vapor passa pelo cartucho de nicotina e contrai todas as substâncias tóxicas que serão inaladas pelo fumante.

Vendido com o mito de que seria para ajudar as pessoas que querem parar de fumar, ainda que seja menos tóxico, o cigarro eletrônico aumenta consideravelmente os riscos de câncer a longo prazo.
Preservar o pulmão de substâncias tóxicas diminuem os riscos de câncer De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), os homens fumantes possuem quase 25 vezes mais chances de desenvolverem câncer no pulmão,
enquanto, nas mulheres, chega a quase 15 vezes.

Os principais tipos de neoplasias que estão associados ao uso do narguilé e cigarro eletrônico são o câncer de
pulmão, de boca, cabeça e pescoço. Qualquer substância absorvida pelos pulmões que não seja o mais puro ar trará
danos ao nosso organismo. Por isso é importante que exista um combate ativo a qualquer forma de tabagismo, especialmente entre os mais jovens, para prevenir o câncer e demais doenças.