Pessoas acometidas por câncer podem ter uma baixa considerável em seu sistema imunológico, tendo um risco muito maior de serem infectadas por outros vírus ou bactérias.
Embora nem todo mundo diagnosticado com câncer tem a imunidade afetada, de acordo com o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) em pesquisa realizada no ano de 2015, cerca de 30% dos pacientes que possuem câncer e são internados têm como causa algum tipo de infecção – seja por bactérias, fungos ou qualquer outro vírus.


Ainda de acordo com o ICESP, 55% das pessoas acabam indo a óbito devido a infecções mal solucionadas que acarretam no fenômeno da sepse, isto é, quando todas as principais funções dos órgãos estão prejudicadas e não possuem mais capacidade de funcionar da maneira correta.


É importante que aqueles diagnosticados com câncer, e que estejam tratando a doença,
fiquem atentos a possíveis sintomas que apontem para algum tipo de infecção.

Por que portadores de algum tipo de câncer são mais suscetíveis a infecções?

Pacientes que fazem uso de métodos como radioterapia e quimioterapia para lidarem com a doença cancerígena, geralmente possuem uma certa debilidade na produção de glóbulos brancos na medula óssea. Essas células são responsáveis por fazerem o trabalho imunológico no organismo. Mas quando sua produção é afetada pelos efeitos radio ou
quimioterápicos, o paciente fica propício a ser infectado por outros organismos.


Leucemia, linfomas e alguns tipos de tumores malignos que se espalham pelo corpo e penetram até as células da medula óssea podem igualmente causar debilidade no sistema imunológico da pessoa. Outros fatores como problemas emocionais, má alimentação e ausência de sono também afetam a imunidade do paciente.

Os sintomas mais frequentes das infecções

Há alguns sintomas que costumam ter como causas infecções de diversas bactérias e vírus. Portanto, todo paciente que sofre de câncer deve prestar bastante atenção a sintomas como: febre alta (acima de 37 graus), calafrios, dores na garganta ou no ouvido, tosse duradoura podendo ou não ser acompanhada de secreção, nariz entupido com secreções de cor amarela ou verde, inchaço no corpo, tonturas juntas de queda de pressão, diarreia e febre, ardência ou vontade constante de urinar em pequenas quantidades.


Qualquer sinal de que algo esteja diferente dos sintomas previstos, o paciente deve informar ao seu médico o mais rápido possível, visto que nem todos eles precisam aparecer para que tenha ocorrido alguma infecção.

Tratamento em casos de infecções

Após o paciente informar a situação ao responsável pelo seu tratamento, ele deve seguir precisamente as orientações do seu médico. Nos casos de infecções, é muito comum a pessoa tratar os sintomas que surgiram com antibióticos – podendo até recebê-los por via intravenosa.


Alguns cuidados básicos podem ajudar a evitar infecções como: não ter contato com doentes e animais domésticos, repouso, lavar as mãos constantemente, evitar o compartilhamento de coisas pessoais como copos e escovas de dentes, utilizar escovas de dentes macias, entre outras medidas que ajudem a diminuir os riscos de contrair bactérias ou vírus prejudiciais a saúde.

Share This