Mitos e verdades sobre o câncer de próstata

nov 4, 2021 | Artigos, Oncologia

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens. A doença pode ser diagnosticada, já na fase inicial, desde que o homem mantenha a rotina de prevenção, a qual inclui o exame de PSA e toque retal; e melhore a qualidade de vida, buscando tratamento para a obesidade, tabagismo, alcoolismo e outros fatores de risco para a saúde. Neste artigo, buscamos esclarecer 10 mitos e verdades sobre o câncer de próstata.

Mitos sobre o câncer de próstata

1. Apenas homens idosos têm câncer de próstata.
Cerca de 75% dos casos de câncer de próstata ocorrem em pacientes com 65 anos de idade ou mais. Contudo, 25% dos pacientes são mais jovens. Portanto, a rotina de controle médico deve começar mais cedo, principalmente, quando existem casos de câncer na família.

2. Câncer de próstata põe fim à vida sexual.

A cirurgia pode lesionar nervos que controlam a ereção, porém, é possível recuperar a ereção do pênis, após o tratamento do câncer. A prioridade é tratar o câncer!

3. Não tenho sintomas, portanto, não tenho câncer de próstata.

Na maioria dos casos, o câncer de próstata é assintomático. Daí a importância do exame clínico (toque retal) e laboratorial (dosagem de PSA), periodicamente.

4. O câncer de próstata é diagnosticado com base no exame PSA.

O exame PSA mostra se existe ou não algum problema na glândula
prostática (infecção ou inflamação), no entanto, para diagnosticar o câncer, é
necessário realizar a biópsia da próstata.

5. Fiz o PSA, não preciso fazer o exame de toque retal.

Muitos homens ainda têm preconceito em relação ao toque retal e, por isso, fazem apenas o exame PSA. Contudo, é recomendável realizar os dois exames, haja vista que um PSA baixo não descarta a existência de um tumor em fase inicial, o qual poderia ser detectado pelo toque retal.

Verdades sobre o câncer de próstata

1.PSA alto não é sinônimo de câncer de próstata.

PSA elevado pode indicar outras doenças como a prostatite ou a hiperplasia da próstata (aumento da glândula). Daí a importância do toque retal e outros exames que o médico considerar necessários.Aumento da próstata não significa que o paciente tem câncer.

Após os 40 anos de idade, pode ocorrer a hiperplasia da próstata. Embora seja benigno, o aumento da próstata pode obstruir a uretra, prejudicando o fluxo da urina. O tratamento é clínico ou cirúrgico. Não havendo sintomas, o médico pode optar pelo monitoramento da saúde do paciente, com exames periódicos.

2. Podem ocorrer impotência sexual e incontinência urinária.

O tratamento do câncer de próstata pode ter esses efeitos negativos, porém, pior é não tratar uma doença grave que pode por fim à vida. Além disso, existem tratamentos para a impotência sexual e incontinência urinária.

3. A cirurgia não é a única forma de tratamento.

Diversos fatores são considerados para a indicação de um procedimento cirúrgico, tais como o estágio do tumor, idade do paciente e comorbidades. Em alguns casos, o tratamento pode ser feito por meio de radioterapia. Dependendo da situação, é possível realizar apenas a vigilância ativa da doença, sem cirurgia nem radioterapia.

Ao receber o diagnóstico de câncer de próstata, o paciente deve conversar detalhadamente com o médico sobre os riscos e benefícios dos tratamentos. O paciente também tem o direito de buscar uma segunda opinião médica.


As informações foram úteis? Quer saber mais sobre o tema? Leia mais artigos em nosso site

Talvez você goste…

Share This