Hepatocarcinoma

mar 30, 2021 | Artigos, Oncologia

O câncer de fígado – também conhecido como hepatocarcinoma ou carcinoma hepatocelular (CHC) – é um tipo de neoplasia que se origina nas células mais essenciais do fígado, que são chamados de hepatócitos. Como ocorre em todo câncer, o surgimento se dá quando há uma mutação na célula do órgão afetado e a faz expandir a sua quantidade de maneira descontrolada e anormal.

Os dois tipos de hepatocarcinoma existentes são divididos em primário e secundário. O de tipo considerado primário é quando a infecção tem início no próprio fígado. Enquanto o secundário é proveniente de um outro órgão e que se
expandiu até o fígado. Em muitos casos, este pode decorrer de um tumor encontrado no intestino grosso.

Conheça os riscos de hepatocarcinoma
Aproximadamente metade dos pacientes que sofrem de hepatocarcinoma costumam apresentar um histórico de doenças como a cirrose, causada pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas, ou a hepatite, que se dá pela infecção do vírus da hepatite B ou C. Outra doença que também aumenta os riscos de desenvolvimento de câncer no fígado é a esquistossomose – mais conhecida como barriga d’água.

Entre outros fatores que podem acarretar no desenvolvimento de hepatocarcinoma são o excesso de gordura no corpo, uso de anabolizantes ou mesmo a exposição a determinadas substâncias químicas como dióxido de tório, arsênio e solventes.

Quais os sintomas do hepatocarcinoma?
Os pacientes afetados pelo CHC não costumam sentir dores nos estágios iniciais, criando muitas barreiras e dificuldades para se realizar um diagnóstico precoce – e sabemos da importância de uma detecção rápida desse tipo de doença para que se
inicie o tratamento o quanto antes.

Normalmente pessoas com carcinoma hepatocelular apresentam sintomas como dores abdominais, perda de peso sem razões aparentes, olhos e pele amarelados, sobrecarga de líquido no abdômen (chamado de ascite) e diminuição ou ausência de apetite.

Como é feito o diagnóstico?
Os exames que mais auxiliam os médicos na detecção de um tumor no fígado podem ser feitos por imagens como tomografia ou ressonância magnética, exames de sangue e biópsia.

Na maioria dos casos o diagnóstico é feito quando a doença já se encontra em estado avançado. Portanto, é recomendado que indivíduos que possuam potencial para desenvolvimento de CHC devido a outras doenças façam exames com frequência e permaneçam atentos às menores manifestações da doença.

Quais os tratamentos que existem contra o câncer de fígado?
Esse tipo de câncer é bastante agressivo e ocorre em cerca de 80% ou mais dos casos. O tratamento é avaliado de acordo com a situação do paciente, ponderando fatores como estágio da doença, idade, sua saúde, entre outros.

Contudo, o tratamento mais indicado e eficiente na maioria das vezes ainda é a remoção do órgão afetado e o transplante de um fígado novo ou apenas a retirada do pedaço em que está localizado o tumor no fígado.

Atualmente, a medicina também oferece outros meios para tratar o CHC. Existem nos dias de hoje tratamentos feitos por injeção percutânea, e ainda quimioterapia e radioterapia que contribuem para uma melhor resposta do paciente na luta contra o câncer.

Talvez você goste…

Share This