Curiosidades do câncer de mama

nov 4, 2021 | Artigos, Oncologia

Informação e conhecimento são essenciais para o diagnóstico precoce do câncer de mama. Separamos 10 curiosidades sobre a doença para ampliar seu entendimento sobre o tema e motivar os cuidados com a saúde.

  1. A mortalidade por câncer de mama está diminuindo.

Estudos mostram que a taxa de mortalidade está diminuindo. Em 2018, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), foram registrados 13 óbitos por 100 mil habitantes. Contudo, o câncer de mama ainda ocupa o segundo lugar no ranking das doenças que mais matam as mulheres brasileiras. As doenças cardiovasculares estão em primeiro lugar.

2. Existem vários tipos de câncer de mama.

Há um tipo de câncer que se origina no ducto de leite e não afeta outras áreas da mama. No entanto, mais de 70% das pacientes desenvolvem variedades do câncer de mama invasivo, o qual compromete os tecidos mamários adjacentes, sendo que alguns tipos são mais agressivos, desenvolvendo-se com rapidez.

3. Diagnóstico pode identificar tumor, antes dos primeiros sinais.

Mulheres que realizam exames clínicos periódicos podem ser diagnosticadas com câncer de mama, na fase inicial, mesmo quando não existem sinais ou sintomas da doença. Portanto, o autoexame não é o único meio para identificar alterações nas mamas. Além disso, em alguns casos, o nódulo pode ficar oculto por muito tempo, até que surjam os sintomas da doença.

4. O Autoexame é necessário, mas exames médicos devem ser regulares.

Desde a primeira menstruação, é importante realizar o autoexame das mamas, principalmente quando há histórico de câncer na família. Contudo, o autoexame não descarta as consultas periódicas ao ginecologista nem os exames preventivos.

5. O nódulo mamário pode indicar outro problema e não o câncer.

Ao sentir a presença de um nódulo na mama, é importante não entrar em pânico, mas procurar ajuda médica imediatamente. Existem nódulos que são tumores benignos, mas apenas o exame de imagem e a biópsia podem confirmar a gravidade do nódulo mamário.

6. Gravidez e amamentação reduzem os riscos de câncer de mama.

A gestação e a amamentação prolongada podem proteger a saúde das mamas, reduzindo o risco de câncer de mama, desde que não haja outros fatores significativos, tais como a herança genética. Isto porque a produção de alguns hormônios diminui nesses períodos, além de ocorrer maior renovação de células.

7. Mulheres jovens também podem ter câncer de mama.

A idade é um fator de risco para o câncer de mama. A cada cinco casos, quatro ocorrem a partir dos 50 anos de idade. Entretanto, mulheres mais jovens também podem desenvolver a doença. É raro, mas não impossível. Daí a importância do acompanhamento médico regular, a partir da primeira menstruação.

8. Obesidade, consumo de álcool e tabagismo são fatores de risco.

Estes problemas afetam a saúde em geral e aumentam o risco para o câncerde mama. Por isso, é importante fazer uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos diariamente e buscar tratamento para o tabagismo.

9. A terapia de Reposição Hormonal pode afetar a saúde das mamas.

A terapia combinada de progesterona e estrogênio é um fator de risco para o câncer de mama, especialmente se a TRH for prolongada. O acompanhamento médico é fundamental. Terapias alternativas devem ser consideradas, durante o climatério, menopausa e pós-menopausa.

10. Homens também podem desenvolver câncer de mama.

É raro, comparado às estatísticas do público feminino, porém, cerca de 1% dos casos de câncer de mama ocorrem em homens. Mutações genéticas, envelhecimento, obesidade, alcoolismo e tabagismo predispõem o organismo
masculino ao desenvolvimento de várias doenças e, 1 em cada 1.000 homens, pode ter câncer de mama.


As informações foram úteis? Para saber mais leia outros artigos em nosso site.

Talvez você goste…

Share This