Como identificar o câncer de pele?

dez 16, 2021 | Artigos, Oncologia

Cerca de 30% dos diagnósticos de câncer, no Brasil, correspondem ao câncer de pele. Desse total, o menor percentual está relacionado ao melanoma, o câncer mais perigoso. A maioria dos casos refere-se a outros tipos de câncer de pele menos
agressivos em comparação ao melanoma, tais como os carcinomas basocelular (desenvolve-se nas camadas profundas da pele) e espinocelular (surge na camada superficial da pele). Um câncer não-melanoma, porém, agressivo, é o carcinoma de
Merkel. O sarcoma de Kaposi é um câncer maligno de pele, que pode surgir em pacientes imunodeprimidos em consequência de infecções graves ou transplantes.

Pessoas de pele clara, com ou sem histórico familiar de câncer de pele e outras patologias cutâneas, são mais suscetíveis a este tipo de neoplasia maligna. Isto não significa que pessoas pretas ou pardas, por exemplo, estejam 100% protegidas
contra o câncer de pele. A incidência, entre esses indivíduos é rara, mas pode ocorrer.

Saiba como identificar o câncer de pele:

Faça o autoexame da pele:
A observação atenta do corpo possibilita a detecção precoce de alterações na pele, tais como o surgimento de lesões pigmentadas ou mudanças na cor, formato e tamanho de pintas, manchas e outros sinais pré-existentes, especialmente em áreas expostas à radiação solar (mesmo em dias nublados), com frequência.
Descamação, rachadura e sangramentos são sinais de alertas que devem motivar o agendamento imediato de uma consulta médica.

Entenda o exame ABCD:
Ao realizar o autoexame, é importante observar as características das lesões. Uma maneira simples baseia-se no exame ABCD, por meio do qual é possível observar os seguintes aspectos de pintas, manchas e outros sinais na pele.

  • Assimetria: Uma lesão pigmentada assimétrica pode representar a fase inicial de um melanoma ou outro câncer de pele.
  • Borda: O câncer de pele apresenta bordas irregulares, ou seja, o contorno da lesão não é uniforme.
  • Cor: A coloração é outro aspecto marcante do câncer de pele. Manchas, pintas e sinais nas cores preta, marrom ou vermelha precisam ser examinados pelo médico.
  • Diâmetro: Lesões com 6mm de diâmetro ou maiores sinalizam a necessidade de exame médico imediato.

Busque o diagnóstico médico:

Ao perceber alterações em sinais, pintas e manchas existentes ou o surgimento de lesões pigmentadas na pele é importante marcar a consulta médica. Exames de imagem, laboratoriais e a biópsia são procedimentos necessários para confirmar a
possível formação de um câncer de pele. Além disso, com o diagnóstico revela o estadiamento do tumor maligno, ou seja, se o câncer de pele está no início ou espalhando-se para outras partes do corpo.
Quando o câncer de pele é diagnosticado no estágio inicial as chances de cura são maiores. Por isso, é vital agendar a consulta médica ao notar alterações significativas na pele.

Tratamento e prevenção do câncer de pele:

O plano de tratamento do câncer de pele depende do tipo de neoplasia, estadiamento do tumor e quadro clínico do paciente. O tratamento cirúrgico pode ser altamente eficaz, contudo, alguns pacientes podem ser submetidos a outras terapias como, por exemplo, a radioterapia, quimioterapia ou imunoterapia. Cabe a equipe médica estabelecer o prognóstico, com base no diagnóstico, mas sem desconsiderar a expectativa do próprio paciente.


Gostaria de obter informações sobre tipos de câncer de pele? Leia, em nosso site, os artigos sobre melanoma, o câncer mais perigoso e o carcinoma de Merkel.

Talvez você goste…

Share This