Carcinoma de merkel

dez 16, 2021 | Artigos, Oncologia

O carcinoma de Merkel é um câncer de pele, originado a partir do crescimento desordenado de células neuroendócrinas, localizadas na base da epiderme. Estas células, denominadas células de Merkel, captam as sensações a partir do toque suave ou pressão sobre a pele.
O carcinoma de Merkel é um câncer dermatológico raro, porém bastante agressivo. Pode evoluir rapidamente e atingir outras partes do corpo. O diagnóstico tardio dificulta o tratamento e a cura da doença.

Carcinoma de Merkel: o que você precisa saber sobre a doença

Sinais e Sintomas

O carcinoma de Merkel surge, principalmente, em áreas da pele mais expostas à radiação solar, tais como a face, o pescoço, pernas e braços. Contudo, esse tipo de câncer também pode começar no esôfago ou interior do nariz. Na fase inicial, o carcinoma de Merkel é semelhante a um nódulo ou edema rosado, avermelhado ou roxo. É indolor, porém, a superfície pode apresentar rachaduras, descamação e/ou sangramento.
Por ser um câncer bastante agressivo, o carcinoma de Merkel desenvolve-se rapidamente, afetando outras partes adjacentes da pele ou linfonodos. Daí a importância de buscar ajuda médica, o mais cedo possível, ao perceber o aparecimento de manchas, protuberâncias, lesões ou outros sinais incomuns na pele.

Diagnóstico

No consultório médico, o paciente passará pelo exame físico. Se necessário, o médico solicitará exames laboratoriais e de imagem (tomografia ou ressonância magnética). Por fim, o paciente será submetido à biópsia, para confirmar o diagnóstico de carcinoma de Merkel ou outro tipo de câncer de pele. Confirmado o carcinoma de Merkel, o próximo passo é definir o estadiamento do tumor, ou seja, em qual fase a doença está. Com base no estadiamento do carcinoma de Merkel, o médico terá condições de planejar o tratamento da doença.

Tratamento

A forma de tratamento do carcinoma de Merkel depende do estadiamento da doença e saúde geral do paciente. Como outros tipos de câncer de pele, o carcinoma de Merkel pode ser tratado com cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou
imunoterapia. Também é possível combinar dois ou mais procedimentos terapêuticos.
Além disso, o paciente tem total liberdade para opinar e/ou buscar uma segunda avaliação médica. Seja qual for o caminho, o mais importante é não adiar o diagnóstico nem prolongar a decisão sobre o tratamento do carcinoma de Merkel.


É possível prevenir o câncer de Merkel?

Inúmeros fatores contribuem para o desenvolvimento do câncer. Especificamente sobre o câncer de pele, a exposição prolongada e frequente da pele ao Sol é um os principais fatores de risco. Portanto, para prevenir o carcinoma de Merkel e demais tipos de câncer de pele é essencial protege-la contra a radiação solar, principalmente, nos períodos de maior intensidade dos raios ultravioletas (10h às 16h). O uso de roupas que protegem a pele contra o Sol, chapéus de abas largas, óculos escuros, protetores solares para a pele e lábios (com o FPS dermatologicamente adequado) são alguns meios para prevenir o carcinoma de Merkel.
Além desses cuidados, é essencial realizar o autoexame da pele periodicamente para detectar alterações incomuns. O diagnóstico precoce do câncer de pele é fundamental para o sucesso do tratamento. Quando a doença é detectada no estágio inicial há mais chances de cura.

Deseja saber mais sobre câncer de pele? Leia outros artigos publicados no site.

Talvez você goste…

Share This